1 ano de Crônicas

Viagem pelo tempo – 1 ano

Não creiam na linha do tempo. É mentira que ele é linear. Todos os tempos acontecem ao mesmo tempo e nós ocidentais é que o experimentamos linearmente. Neste momento é dia 10 de setembro de 2009, são 21 horas e 38 minutos, estou sentado no sofá dum hotel em Ribeirão Preto e nasce a primeira crônica deste blog. Neste momento é também 10 de setembro de 2010, são 7 horas e 43 da manhã e falo sobre o suposto um ano deste blog. Neste momento é, também, 10 de setembro de 2011 e falo sobre os supostos dois anos deste blog. Neste momento é também qualquer dia, qualquer mês e qualquer hora. Pois, toda hora possui em si todas as horas. Mas, apesar destes falseamentos humanos, não há como negar que é bom fingir que existem aniversários.

Não sei se tenho me dedicado mais à Literatura ou às Viagens, não sei também se é possível separá-las. Tenho me dado conta que as cidades são como os livros, virar uma esquina é como virar uma página. Virei muitas páginas, muitas esquinas e continuo com a impressão que o livro é interminável, como as estórias das Mil e Uma Noites, parecem estar sempre uma dentro da outra, como aquelas bonecas russas.

Não me perguntem o porquê, mas quando os seres humanos marcam estas datas, agradecer costuma ser parte dos ritos de passagem. Sendo assim, arrisco-me a deixar um muito obrigado aos visitantes, principalmente aqueles que mais marcaram presença neste espaço, comentando e até mesmo dando sugestões: minha esposa Emanoelle, meu pai Rogerio, meus amigos Roberto, Priscila, Jônatas. Agradeço também aos que pararam pra escrever uma crônica: Emanoelle, Vanessa, Arthur, Éric, Thiago, Isabel, Victor, Michelle, Priscila, Rogerio e Alexandra (que escreveu, mas ainda não publiquei). Agradeço, ainda, ao jornal JPA em Destaque que levou o blog além do mundo virtual.

Gostaria de redigir, como me ensinaram as tias da escola, um último parágrafo de conclusão. Entretanto, neste um ano, o que menos alcancei foram conclusões. Deparei-me mais com reticências e pontos de interrogação. Descobri que medos de altura e avião são menores que o mundo, mas não que sejam pequenos, muito pelo contrário, são imensos, mas o mundo é ainda maior. E é justamente pela angustia de vê-lo tão grande que escrevo na tentativa de abraçá-lo apesar de sua imensidão.

Obrigado a todos que desperdiçaram segundos de suas vidas lendo-me.

Antunes
Rio de Janeiro, 10 de setembro de 2010.

Veja aqui a primeira postagem deste blog: Quando os pilotos tomam guaraná.

8 Respostas para “1 ano de Crônicas

  1. Belo texto: filosofia e poesia juntas! Parabéns pelo aniversário de 2010 e por todos os outros! Abraço!

  2. De nada, de nada… hahahahah. Adorei este post! Te amo!

  3. Bom, se o Roberto mencionado ali corresponde a mim… de nada! Se é relacionado a outro Roberto, azar o meu. Só quero que me permita corrigir um pequeno engano de sua parte nesse seu texto:

    “Obrigado a todos que INVESTIRAM segundos de suas vidas lendo-me.”

    Do mesmo modo que afirmo a leitura deste blog ser um investimento, só o faço por enxergar que ele traz um retorno positivo em suas muitas e diversas formas. Sendo assim, o que mais posso desejar para o futuro é que este espaço continue rendendo frutos e multiplicando o alcance do seu talento.

    Um grande abraço!

  4. É você mesmo, Roberto!

  5. Depois de demorar séculos para escrever, perder o manuscrito, refazer só para não perder o título de cumpridora de promessas (ao contrário do que dizem as más línguas – a compridona das promessas), entrego o rascunho suado, sofrido, amassado e apressado ao meu amigo que tanto me cobrava, mas até agora nada de sua publicação…
    Por um lado, entendo sua benevolência com a humanidade, privando-os de tamanho tédio, por outro, agradeço por sua discrição por não magoar o frágil coração de sua amiga dizendo que apenas “esqueceu” de publicar o pobre escrito e por ter aplacado sua tristeza por ter sido aqui citada…
    De qualquer forma, prometo-lhe perturbar sua quietude de outras formas hehehe
    Ah, hoje estou andando com um furão! Você sabe do que estou falando.

    Bjs!

  6. Xandinha, seu texto está publicado no meu coração. hehe. Mas, não desanime, quando eu for falar de Sampa, com certeza vou publicar, tá guardadinho.
    Beijos

  7. Vinícius;
    Fico muito feliz vendo você se dedicar à cultura e, particularmente, à literatura, dividindo conosco suas idéias, seus sonhos (que também são viagens) e seus talentos. O saber liberta e a liberdade conquistada pelo saber, ninguém toma. É um território conquistado pra sempre. Quando eu tinha a sua idade sonhava com um mundo melhor e procurava contribuir para isso através de meus desenhos. Me chamaram de “militante do traço”. Hoje, continuo sonhando e desenhando e me orgulho quando vejo ao meu lado, na mesma trincheira, lutando por um mundo melhor, o meu filho – “militante das letras”. Parabéns por um ano de excelentes crônicas.

  8. Meu camarada, seu site já tem um ano, e rumando para o segundo aniversário em setembro deste ano. Já é motivo para se pensar em uma comemoração haha.

    Quero parabenizá-lo pelo seu trabalho, sempre fui apreciador dos seus textos e o sou cada vez mais. Apesar de não comentar muito aqui pode ter certeza de que estou sempre lendo. Não comento por malcaratismo mesmo, e por preguiça, desorganização e falta de tempo também. Mas vou tirar um tempinho para comentar o excelente trabalho com as crônicas sobre o Rio de Janeiro.

    Grande abraço do seu amigo de fé, seu irmão camarada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s