Encontro

Drummond levantou-se da calçada de Copacabaca, largou seu banco, recompôs seus óculos e foi. Deixou o Rio pra trás, a rir com sua boca de pedra no meio do caminho do seu rosto. Encontrou Pedro Nava, pelas ruas de BH, pertinho da prefeitura, ao vê-lo, este, o gorducho, lhe falou:

Quando morto estiver meu corpo,
Evitem os inúteis disfarces,
Os disfarces com que os vivos,
Só por piedade consigo,
Procuram apagar no Morto
O grande castigo da Morte.

Neste exato momento fotografei: estavam os dois ali, num momento único, vivinhos de pedra,  juro.

Antunes
Rio de Janeiro, 6 de dezembro de 2009

Drummond, solitário, em Copacabana no Rio de Janeiro

Drummond e Nava se encontram nas ruas

2 Respostas para “Encontro

  1. Muito cabeçudo, o Drummond…

  2. Amei o diálogo do ‘cabeçudo’ rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s