De todas as praças, a praça

¿Que será Buenos Aires?
Es la Plaza de Mayo a la que volvieron, después de haber guerreado en el continente, hombres cansados y felices.
(BORGES, Buenos Aires)

Julio Cortazar, autor do livro Todos os fogos o fogo, hoje é praça em Buenos Aires. A flor de metal que vive sobre um espelho d’água, também é praça em Buenos Aires. San Martín, mito da independência, é praça em Buenos Aires. Não haveria Buenos Aires sem praças: verdes, asfaltadas, pequenas plazoletas ou imensas plazas. Mas dentre todas elas: la Plaza de Mayo. Dali, vê-se a Catedral, o Banco de la Nación, o Cabildo histórico e a Casa Rosada. Praça de Maio, nome que ecoa pelos séculos – antes mesmo de ser batizada, parece que já sabiam que a chamariam assim. Praça de Maio, de mães, que até hoje buscam seus filhos e parecem recebê-los em forma de pombos. Praça de Maio, da democracia. Praça de Maio, a que abriga o mendigo e o presidente.

Antunes
Rio de Janeiro, 13 de janeiro de 2010

Plazoleta Julio Cortazar

Praça das Nações Unidas - A praça da flor de metal

As praças com seus monumentos

A Praça de Maio e a Casa Rosada

A Praça de Maio com o Cabildo Histórico bem ao fundo

O Banco da Nação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s