Comer e morrer

Achava que dentro de um critério estrito todo remédio era veneno, e que setenta por cento dos alimentos correntes apressavam a morte.”
(Gabriel García Marquez em O Amor nos Tempos do Cólera)

Há uma música do uruguaio Daniel Viglietti que traz o paradoxo: “Me matan si no trabajo, y si trabajo me matan.” Faço a adaptação: “Me mato si no como y si como me mato”. Este é o paradoxo que quero. Comer é algo que sempre nos faz mal, caso exerçamos ou não o verbo. Quiçá, então, o melhor seja morrer comendo ou morrer de tanto comer, visto que pelo menos traz algum prazer. E, para envenenar-se, a Colômbia, especificamente Barranquilla é um paraíso. Um costume de nossos vizinhos é a mistura de carnes: frango, boi e porco num mesmo prato. Outra tradição barranquillera é a fritura. Tudo, praticamente tudo, em Barranquilla é frito. Por exemplo, o lanche da tarde no intervalo do trabalho era bolinho de aipim. No café da manhã, nada de pãozinho com manteiga, o bom era carne de porco e frango! Porém, o deus da mesa é o café. El cafecito colombiano é motivo de orgulho nacional. Andando de taxi, meu motorista parou no posto para que tomássemos um café, pois julgava que eu não poderia sair da Colômbia sem tomá-lo. Só que, eu já tinha tomado tantas vezes, pois todos julgavam como ele e queriam me empurrar café pelas goelas abaixo com uma rivalidade futebolística: “Depués que lo tomes no quererás más el de Brasil.” Tornei à terra do feijão com arroz, continuo viciado no café brasileiro, pouco tempo fiquei em Barranquilla, mas trago comigo a certeza de que quando eu morra, ela terá sido uma das principais responsáveis.

Antunes
Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 2011

Panzerotti de Carne - a primeira comida que encarei na Colômbia

O panzerotti por dentro: lingüiça, presunto e carne moída (aeroporto de Bogotá)

El churrasco ou la parrillada que segundo o garçom é pra UMA pessoa

Pizza que comi no restaurante Torre de Pizza em Barranquilla

A Pizza mais só que já comi

brownie colombiano

Lá eles comem pamonha também, é no café da manhã

Cardápio de um fast food tipicamente colombiano

Arroz trifásico com a mistura de carnes que eles gostam

Limonada feita com água de coco

7 Respostas para “Comer e morrer

  1. Essa foi pra se vingar de mim, né? Conseguiu. Tô com fooome! E, no final, você nem falou se o café e a limonada estavam bons. Eu volto pra saber. Abraço!

  2. Carla,
    Sempre escrevo sobre comidas, mas dessa vez confesso que lembrei o tempo inteiro do seu texto e fiz, sim, com um tremendo ar de vingança. HAHAHAHAhuhuhuHEHEEHHAHAhaha! Morra de fome aí!! AZAR!!
    A limonada era deliciosa, tomei duas, inda mais botando na conta do Senac. O café é bom, mas é difícil traçar a comparação, sou péssimo em café, tomo qualquer porcaria cheia de adoçante ou açúcar. Beijos. Obrigado pela visita.

  3. Pingback: Tweets that mention Comer e morrer | Crônicas dumas Viagens -- Topsy.com

  4. Prato pra uma pessoa… Não ignore detalhes, você nem perguntou O PESO da pessoa! hahaha

  5. Já dizia minha sábia vovó: “Morro, mas morro de barriga cheia”! hahaha

    Comer é muito bom!

  6. então morreu bastante pelas fotos, deu até água na boca… huauuhsuha
    beijos
    ótimo fds…

  7. Nobre irmão,
    Quando fores novamente à Colômbia, me avise, pois, se for possível, irei contigo.
    Abraço saudoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s