LAGOA

Cheguei a pensar que fosse um MAR…
_______Quando pequeno, se parasse ali
______________achava que era a orla de Copacabana, Ipanema, Leblon
______________achava que era a Enseada
______________achava que era a Baía de Guanabara.

A Lagoa me guardava mistérios como aqueles MONSTROS MARINHOS
de fim da Idade Média.

Eu queria sonhar que nossa Lagoa guardava um monstro que nem o do Lago Ness.

O Rio de Janeiro não é especialista em Godzillas.
_______As crianças passeiam de pedalinho na Lagoa.
_______As crianças andam de velotrol à beira da Lagoa.
_______As crianças patinam à beira da Lagoa.
E nenhum monstro marinho, nenhum tubarão, nenhum alligator

Fosse nos Estados Unidos, fosse no Japão…
_______Mas no Brasil é esta paz no que diz respeito à monstros.
_______Nossos monstros são tão outros.

Minha irmã – aí eu já era velho – vinha me contar histórias de uma ÁRVORE DE NATAL iluminada. Nosso Rio de Janeiro é sempre essa paz natalina de ausência de tudo. Essa paz de LAGOA.

Antunes
Rio de Janeiro, 18 de abril de 2011

Atrás das folhas, a Lagoa.

Sobrevoam a Lagoa

Dentro da Lagoa, dentro da canoa

Cristo visto da Lagoa

Pássaros pousados na árvore

e pássaros pousados no barco

Grande como um poste

2 Respostas para “LAGOA

  1. Gente, que pássaros são esses, que têm pés tipo de pato, mas se empoleiram em árvore? Aquela história antiga de que “poleiro de pato é no chão” não vale mais? Mistério!

  2. psiu, te amo.
    tu arrasa, neguinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s