Arquivo da tag: Infinito

O fim do infinito andino

Até o infinito tem fim, caro leitor. Infinito é só um nome imponente que dão aos caminhos compridos. Foram 52 textos sobre a Bolívia, 53 com este, que inventam cerca de uma semana de viagem ao fazer companhia à minha esposa. Muitas horas de avião mais infinitas horas de estrada: 16 horas pra lá, 16 horas pra cá e assim desbravamos e fomos desbravados por Santa Cruz, Sucre e La Paz. Voltaremos, sem dúvida: faltou-nos a ilha de Copacabana, o deserto de sal. Quando? Não sabemos, entre esta viagem e a próxima também está um tempo infinito. E viajar é descobrir-se outro em contato com o outro. Há os insones viajantes: eu. Há os que dormem e viajam em sono dentro de outra viagem: minha esposa. Passamos assim noites beirando os Andes. Eu a ver o sol morrer e nascer pelas janelas dos ônibus. Ela a dormir diante das madrugadas. Fomos abraçados pelo frio, queimados pelo sol, subimos e descemos montanhas, tropeçamos em lhamas imaginárias e caímos sujos de volta ao Brasil. Sujos, pois o banho era uma lenda que ficou no passado, só possível em oásis que chamamos de hotéis. Mas até a escassez foi escassa e teve seu fim ao cruzar da fronteira. Brasil. De volta à casa por um tempo infinito.

Antunes
Rio de Janeiro, 18 de agosto de 2010

Veredas bolivianas vista por insones

Alguém a sonhar veredas bolivianas

OS ANDES

Finalmente os Andes, gigantescos Andes. Depois de passar pelos vales bolivianos a recompensa: olhar a Cordilheira de frente. O Sol cansado do verde, qual artista, contribui com suas tintas laranja. O Frio, cansado do verde, clareia os picos mais altos. Porém, ainda assim há verde, pois os Andes são intermináveis, guarda espaço para todas as cores. Da janela do ônibus vi os Andes pela primeira vez e jamais vi a última, pois os Andes são tão imensos, tão infinitos, que me perseguem desde que os encontrei.

Antunes
Rio de Janeiro, 7 de julho de 2002

Com o Sol, surge a primeira ponta dos Andes

O sol cansado do verde, qual artista, contribui com suas tintas laranja.

O frio, cansado do verde, clareia os picos mais altos.

Illimani, área gelada dos Andes

Os Andes nos seguem por toda a estrada

Os Andes Infinitos